Utilização de drones para inspeção de ativos

Drone realizando Inspeção de ativos.

Texto por: Walisson Barbosa – Gerente de operações

As indústrias primárias e de transformação como as de mineração e siderurgia detém, nas estruturas metálicas, boa parte de seus ativos. Essas estruturas são responsáveis pelo transporte e armazenamento de material a granel e pelas operações de manuseio de carga líquida, além de suportar boa parte dos equipamentos de processo. Dessa forma, a falha desses componentes pode gerar impactos na produção e na segurança das pessoas e do meio ambiente, fazendo com que a gestão do ciclo de vida desses ativos seja uma prioridade dentro dessas organizações.

Com um processo de inspeção sistêmico e com um método adequado de organização e tratamento das informações obtidas torna-se possível se antecipar às falhas, reduzir os custos de manutenção e aumentar a confiabilidade da planta. Nesse viés, a inserção de uma ferramenta de inspeção remota, como Drone, tem sido uma importante aliada na avaliação de ativos, minimizando a exposição ao risco de colaboradores em atividades de difícil acesso, exposição a altura, presença de gases, bloqueios de equipamentos além de aumentar a produtividade da inspeção.

Através dos dados obtidos de inspeções sensitivas de campo com a utilização de Drones, classifica-se a estrutura de acordo com uma matriz de riscos em que são consideradas a severidade do dano e a consequência de falha de toda ou parte da estrutura. A metodologia empregada pelo ISQ fornece dados quantitativos que permitem aos responsáveis pela planta a adoção de estratégias de manutenção otimizadas, que visam o atingimento de um nível de risco aceitável.

Uma inovação no ramo de  inspeções, que abriu portas ao ISQ para redução de riscos, ampliação da vida útil de ativos, tornando as operações mais sustentáveis, bem como uma atuação mais econômica no mercado.

ISQ, novas tecnologias, mais possibilidades.

 

 

 

 

 

 

gmpimentel
gmpimentel

Latest posts by gmpimentel (see all)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer contribuir para a discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.