Nova 'app' Seixal APPé vai levar os utilizadores numa viagem guiada por habitats naturais

26/09/2017

Amanhã, dia 27 de setembro, vai ser apresentado o novo aplicativo móvel Seixal APPé, que dá a conhecer a Rede de Trilhos de Interpretação Ambiental do Município do Seixal, um projeto cofinanciado pelo PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

A aplicação móvel Seixal APPé irá levar os utilizadores numa viagem guiada, com algumas aventuras e desafios, ajudando a conhecer melhor os valores naturais do concelho. Uma 'app', desenhada para tablets e smartphones, que integrará conteúdos e ações de sensibilização para a conservação da natureza junto da comunidade jovem e escolar.

A apresentação realiza-se às 18 horas, no Auditório dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.

A rede de trilhos desenvolve-se em áreas estratégicas do ponto de vista da biodiversidade e conservação da natureza, nomeadamente nas duas áreas vitais identificadas no Plano Diretor Municipal do Seixal: Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000 Fernão Ferro/Lagoa de Albufeira e Baía do Seixal, pertencente ao estuário do Tejo Sul.

Este sítio com 4 413 ha, limitado a oeste pela arriba fóssil da Costa de Caparica, e a sul pela Lagoa de Albufeira, ocupa 12% da área do município do Seixal, e possui habitats naturais ameaçados de extinção e designados de habitats prioritários.

A área do estuário do Tejo, composta pela Baía do Seixal e zonas de sapal adjacentes, engloba o sapal de Corroios/Talaminho, o sapal dos Viveiros de Santa Marta, o sapal da península do Alfeite, o sapal do rio Judeu, o sapal da Azinheira e o sapal de Coina, e respetivas faixas de proteção, num total de 1 290 ha, correspondente a 52% da área total da Reserva Ecológica Nacional (REN) do concelho, e a cerca de 13,4% da área total do município.

Os sapais destacam-se pelas condições que oferecem, nomeadamente, ao nível da biodiversidade, enquanto base de toda a cadeia alimentar e refúgio para a reprodução de aves e peixes e das alterações climáticas.

Têm uma grande importância no controlo da erosão das margens, pela estabilidade que lhes conferem através da fixação de sedimentos, e da biorremediação, intercetando e retendo a água das zonas superiores, controlando as inundações e filtrando os poluentes, contribuindo para a melhoria da qualidade da água e para o equilíbrio ecológico das áreas envolventes.

No sentido de divulgar os referidos valores naturais identificaram-se um conjunto de cinco trilhos ao longo de uma extensão de aproximadamente 30 km, abrangendo 25,4% da área total do município.

Com um Custo Total de Investimento de 107.982,68 euros, o projeto contará com uma contribuição do Fundo de Coesão no valor de 72.073,03 euros.

Fique a conhecer este e outros projetos cofinanciados pelo PO SEUR no separador Candidaturas – Candidaturas Aprovadas.

Fonte: PO SEUR

Vejo o Artigo Original Aqui