ISQ aposta em inspeção digital na reparação de pás eólicas

O setor de geração eólica é um dos segmentos da indústria que registou um crescimento global rápido. Estudos apontam para a existência de mais de 300 mil aerogeradores instalados em todo o mundo.

As pás dos aerogeradores são elementos de sofisticado desenho, que apresentam complexas curvas. Baseadas em estruturas de diversas camadas de espessura variável, são construídas com materiais compostos de camadas de fibras e resinas artificiais, às vezes, com reforço em madeira.

Estes elementos são desenhados para funcionar vários anos. Contudo podem surgir problemas já que as pás sofrem desgastes, impactos de partículas arrastadas pelo vento e forte tensão e torções, o que pode causar uma série complexa de defeitos, variáveis de acordo com o tipo de desenho de pá, seu modelo e inclusive número de série.

Por isso mesmo, a indústria eólica precisa de relatórios técnicos que possam detetar com precisão, analisar, diagnosticar os problemas e emitir recomendações concisas. Dados que possam realmente estabelecer um esquema de manutenção preventiva.

A inspeção digital veio revolucionar e simplificar os trabalho de reparação de pás eólicas, com vantagens do ponto de vista da segurança e da qualidade dos dados obtidos.

O ISQ atua ao nível da inspeção de pás em fábrica, um serviço vocacionado para os operadores de parques,  inspecionando as pás fabricadas ou que estão em processo de fabrico e apresentando os resultados da análise efetuada com indicação do estado de condição das mesmas.

Atua ainda na inspeção de pás para fabricantes e donos de parques, um serviço baseado na análise de fotos das pás dos aerogeradores obtidas a partir de drones. Estas imagens são usadas para identificar defeitos, categorizar o grau de severidade do dano bem como o período de reparação.

Para além das eólicas, o ISQ tem know how e presta serviços nas áreas do fotovoltaico, energia hídrica e eficiência energética, somando-se ainda a sua presença pioneira no projeto europeu Naturalhy, na preparação para a economia do hidrogénio usando o sistema de gás natural existente como catalisador.

Ao nível da fileira do Hidrogénio as competências do ISQ passam pelo know how em matéria de sustentabilidade, materiais e fiabilidade, sensorização e algoritmos, avaliação de risco e segurança, formação e qualificações e garantia e controlo de qualidade”, sublinha Pedro Matias.