Lightbulb and wooden blocks with innovation basic links. Business ideas inspiration and innovation.

Inovação que faz a diferença

Indústria 4.0, Inovação

Desde o início que a capacidade de inovar se tornou uma marca de diferenciação do ISQ. A área de I&D tem hoje uma importância crucial. Exigem-se respostas mais ágeis e rápidas, com efeitos práticos imediatos. Tendo um percurso de excelência reconhecido internacionalmente, o ISQ quer continuar a estar na primeira linha da inovação e as mudanças orgânicas introduzidas em 2019 espelham essa preocupação.

por Blandina Costa

Parte do ADN

As atividades de investigação e desenvolvimento estão no ADN do ISQ. São mais de 40 anos de aposta nesta área, que soma já mais de 500 projetos, evidenciando o investimento na inovação que tem marcado a atuação do ISQ e que se assume como um fator de diferenciação decisivo. Reforçando este caminho, assumiu a importância de dar um novo impulso e dinamização à Investigação & Desenvolvimento e Inovação (I&Di) enquanto área crucial para o aumento da sua competitividade.

Foi, assim, decidida a criação da Direção de I&Di, que, ao desenvolver um modelo organizativo centralizado e coordenado, materializa uma importante mudança nesta área.

O ano de 2019 marca, desta forma, o início não só de uma nova direção, que substitui e amplia as funções do Departamento Autónomo, mas também de uma aposta reforçada na área de I&D.

A estratégia seguida, neste caso, foi implementar um modelo de I&D com uma forte componente de inovação, mais orientado para o cliente e para o mercado, com resultados concretos e impacto na oferta de valor do ISQ.

“A nova Direção visa potenciar o desenvolvimento de novos serviços, com maior incorporação tecnológica e de conhecimento, que reforcem a oferta de valor e a competitividade do ISQ no mercado globalizado”, refere o Diretor de I&Di, Ricardo Rato em entrevista . Metas que se pretendem atingir assumindo a tendência dos modernos departamentos de I&D – a sua transversalidade, envolvendo todos os setores da organização, porque em todos se sente a necessidade de inovar e procurar soluções diferentes para novos e velhos problemas.

Os resultados começam a ser visíveis. Atualmente, mais de seis dezenas de projetos estão em curso na área de I&Di, envolvendo um investimento que supera os 10 milhões de euros.

“A unidade de I&D do ISQ tem cerca de 60 projetos a correr ao mesmo tempo. Esta é uma riqueza muito grande. Estamos posicionados para gerar conhecimento e para prestar serviços de valor acrescentado”, sublinhou Pedro Matias, Presidente do Conselho de Administração do ISQ, durante um workshop interno para apresentar novos projetos, num trabalho conjunto entre a Direção de I&Di e a Direção Comercial Corporativa.

Pedro Matias explica que o objetivo é “que uma grande parte destes projetos se possa traduzir em produtos e serviços para o cliente, sobretudo em produtos diferenciados e também em produtos que sejam escaláveis e internacionalizáveis”. “É isto que vai dar escala e futuro ao ISQ”, acrescenta o Presidente.

Na sua orgânica, a Direção de I&Di conta com quatro unidades, organizadas por domínios científico-tecnológicos: Baixo Carbono e Eficiência de Recursos, Materiais e Tecnologias, Sistemas Digitais e Inteligentes e Formação e Qualificações.

unidadeid

Incluem-se ainda cinco programas, que visam estabelecer a estratégia de desenvolvimento tecnológico para setores económicos chave onde o ISQ opera: Indústria, Energia, Transportes, Ambiente e Recursos Naturais e Agro-Alimentar.

Um legado além-fronteiras

As várias décadas de experiência do ISQ na área de I&D permitiram alargar não só a diversidade de projetos e parcerias, mas também as regiões onde a instituição opera. Abriram-se horizontes que permitiram chegar a mercados de todos os continentes e a encetar parcerias com as mais prestigiadas entidades nacionais e internacionais, incluindo os players mais influentes em vários setores. Casos da ESA, Embraer, ESO, CERN, ITER, Phillips, Airbus, Rolls Royce PLC, Fraunhofer ou as universidades de Cambridge, Oxford, Pisa, Milão ou Roma.

É isto que vai dar escala e futuro ao ISQ

Pedro Matias

O ISQ conta já mais de um milhar de parcerias com entidades científicas, centros de investigação e universidades, desenvolvendo um percurso dedicado à inovação industrial e às empresas, o que permitiu criar uma rede de excelência no desenvolvimento tecnológico. Este aprofundar de competências tem-se revelado como um dos fatores de sucesso do ISQ, que se afirma como infraestrutura tecnológica de interesse estratégico e como Centro de Interface com a indústria. Na era da Indústria 4.0, de conceitos como a Internet das Coisas ou Machine Learning, o desenvolvimento de soluções de Inteligência Artificial, plataformas inteligentes e algoritmos tem sido um dos focos principais das atividades de I&D.

INOVAÇÃO PARA A COMUNIDADE

As atividades de I&Di no ISQ seguem as orientações do programa europeu FIT4RRI, (Fostering Improved Training Tools Fit for Responsible Research & Innovation – Promoção de Ferramentas Melhoradas de Formação para a Inovação e Investigação Responsável) que visa aproximar a ciência da sociedade.
A ideia é que a inovação não fique fechada no ambiente asséptico do laboratório e possa ser materializada em algo concreto, que efetivamente sirva o cidadão e o desperte para a importância do avanço científico.
Pretende-se que o potencial de uma descoberta possa efetivamente ter um impacto significativo e que os efeitos prejudiciais não intencionais sejam reduzidos ao mínimo. Este conceito liga-se ao de Open Science, que promove o acesso generalizado ao conhecimento científico. O FIT4RRI consiste no design e implementação de uma política de I&D que atinja cinco objetivos:

Untitled 2

A experiência acumulada fez com que o ISQ se tornasse um player europeu ao nível de investigação, sendo a entidade nacional com o maior número de projetos no âmbito do programa de fundos comunitários Horizonte 2020, sobretudo em projetos de sustentabilidade industrial e ecoeficiência. Um legado que começou a ser construído no tempo do primeiro quadro comunitário de apoio (1988/1989), quando se deram os primeiros passos de um caminho que começou na Europa e que hoje chega a todos os continentes.

São vários os profissionais do ISQ que integram o núcleo de avaliadores de projetos da União Europeia em diversas áreas, sinal da solidez do projeto iniciado há mais de 50 anos.

A nível interno, o nome do ISQ é hoje sinónimo de excelência, da qual são prova os projetos concretizados com várias das maiores empresas e instituições nacionais, como são os casos da Galp, EDP, TAP, REN e dezenas de municípios.

Equipa multifacetada

Os resultados que o ISQ tem conseguido alcançar na área de I&Di surgem da reunião de três condições fundamentais: a existência de instalações adequadas – o ISQ conta com laboratórios de excelência certificada em várias áreas -, a disponibilidade de equipamento tecnologicamente avançado e a existência de recursos humanos de alto nível.

A combinação destes fatores resulta no know how que se revela uma mais-valia na transferência de tecnologia para vários setores, respondendo a uma grande diversidade de desafios.

  • Uma escola de construção antiga, com graves lacunas no que diz respeito ao conforto e eficiência energética.
  • Um sistema de distribuição de água ao consumidor que perde constantemente milhões de litros do líquido cada vez mais raro e precioso no Planeta.
  • O problema das operações de manutenção e inspeção obrigatórias dos aviões, que obrigam a demoradas e onerosas paragens dos aparelhos, prejudicando as companhias aéreas.

Estes são exemplos de projetos em desenvolvimento, em que o ISQ tem um papel preponderante na busca de novas soluções para diferentes setores, com diferentes níveis de complexidade.

agua consumo

LIFE SWSS – Smart Water Supply System

Liderado pelo ISQ, o projeto visa demonstrar uma plataforma digital inovadora de gestão e tomada de decisão que, através de modelos de simulação, previsão e otimização, dá apoio à operação de Sistemas de Abastecimento de Água (SDA). O LIFE SWSS pretende dar resposta ao problema da eficiência de redes de abastecimento de água, que causa impactos significativos devido à enorme quantidade de energia consumida, as emissões de GEE associadas e fugas de água.

Importante em todas as áreas e fases do processo de capacitação em I&Di tem sido a aposta na formação. Seja para capacitar os próprios colaboradores com novos saberes e competências, seja na prestação de serviços às entidades parceiras, que procuram o apoio do ISQ para aumentar as qualificações das suas equipas, a formação tem estado sempre presente.

Combinando métodos presenciais e online (B-Learning) mantém-se o compromisso de acompanhar, e mesmo antecipar, as novas tendências tecnológicas, que surgem a um ritmo cada vez mais acelerado, um cenário próprio de um mundo global, interligado e em mutação cada vez mais rápida. Também neste campo, o ISQ foi pioneiro ao criar, em 1992, a SAF (Sistemas Avançados de Formação) introduzindo a formação por e-learning e criando a ISQe, empresa dedicada à formação para plataformas digitais. Longo tem sido o caminho desde que o ISQ foi criado, com o objetivo inicial de promover soluções na área da soldadura.

Os projetos de I&Di atualmente em curso mostram a diversidade do que é hoje a atividade do grupo e a criação de uma direção própria representa um reforço desta aposta. O futuro será feito pelos que conseguirem manter-se na liderança dos processos de inovação e o ISQ tudo fará para estar nesse lugar.

ISQ E I&D: UM CAMINHO PARALELO

Desde a sua génese, logo na primeira década de existência (1965 – 1975), que o I&D e a Inovação fazem parte da estratégia de desenvolvimento do ISQ.

Foi no arranque de atividade do ISQ, através do primeiro projeto com financiamento internacional Nato Reserach Grant nº 405, “Avaliação da influência de ciclos térmicos de soldadura no envelhecimento de aços não calmados, deformados a frio” -, que se introduziu em Portugal a mecânica da fratura e se divulgaram as suas potencialidades.
Também na década de 70, o ISQ fez uma grande aposta na formação e capacitação dos seus quadros técnicos no exterior, através da realização de cursos de Engenheira da Soldadura em França.

antoniocorreiadacruz
António Correia da Cruz, Membro do CA ISQ 2016-2020

Uma aposta que teve continuidade nos anos 80 e 90, com a realização de Mestrados e Doutoramentos no Reino Unido.
No percurso de aposta na inovação, ainda durante a década de 80, com a generalização dos microprocessadores, o ISQ desenvolveu um equipamento de soldadura MIG Sinérgico controlado por computador, que resultou na sua produção industrial em Portugal pela Electrex e a venda de um equipamento protótipo à ASEA Brown Boveri no Brasil.
No final desse período, iniciaram-se projetos de I&D em colaboração com o CERN e com o apoio da JNICT para, entre outros, desenvolver processos de soldadura de elevada densidade de energia, Feixe de eletrões, Laser e Micro-Plasma.
Os resultados foram muito importantes para o ISQ, nomeadamente a oferta pelo CERN do primeiro equipamento de soldadura por feixe de eletrões do país e que permitiu a posterior participação do ISQ em projetos europeus de I&D relacionados com aquele processo.

Igualmente importante foi a oportunidade de concorrer à inspeção de fabrico e montagem de componentes para o LHC (Large Hadron Collider), que se veio a concretizar e acabou por ser uma importante referência, abrindo as portas à participação do ISQ noutros projetos científicos que também se concretizaram e estão atualmente em curso, nomeadamente o ITER – F4E e o ELT, Extremely Large Telescope.
Outro passo importante no reforço da aposta em I&Di, foi a adesão à União Europeia. Com o apoio do PEDIP foi possível dotar os laboratórios com equipamentos essenciais à investigação e desenvolvimento, possibilitando a participação num grande número de projetos nacionais e europeus.
Os reflexos vieram a sentir-se logo na década de 90, que ficou marcada pela participação em mais de 400 projetos nos principais programas europeus de I&D, visando a transferência de conhecimento através do acompanhamento do estado da arte e tendências técnico-científicas mundiais nas suas áreas de atividade e o início de novas áreas de interesse para a competitividade da indústria nacional.

ISQ Logo med framed

Promovemos a confiança nos seus produtos e serviços através de inovação, certificação, ensaios e consultoria. O ISQ é uma entidade privada, independente, idónea e acreditada, com serviços de Engenharia, Consultoria, Inspeção, Ensaios e atividades de I&DT e Inovação. Agimos no seu interesse para promover a qualidade de produtos, serviços, instalações e processos, tendo em vista trazer-lhe acreditação, competitividade e inovação.

+ insight

Contribua


Sendo um projeto iniciado pelo ISQ, o insight está aberto a contributos de todos que queiram participar e possam trazer a sua visão, estudos científicos e opinião fundamentada para enriquecer os temas e o debate.

Se a sua atividade está ligada à investigação ou à análise e implementação de medidas nos tópicos aqui debatidos, contacte-nos com o formulário anexo.